A incrível República Dominicana

Esse costuma ser o destino mais barato do Caribe, mas nem por isso deixa por menos. A República Dominicana tem belas praias em mais de 1,5 mil quilômetros de litoral, calor o ano inteiro, drinques coloridos, grandes hotéis, campos de golfe. E um povo caloroso que recebe seus visitantes no embalo de merengue, bachata e reggaeton. O país ocupa dois terços no leste da Ilha de Hispaniola, tendo como vizinho, à esquerda, o Haiti. Foi em seu território que Cristóvão Colombo atracou pela primeira vez nas Américas – e acredita-se que os restos mortais do navegador estejam enterrados no El Faro a Colón, farol localizado na capital, Santo Domingo. Sendo o ponto de onde a Espanha iniciou a conquista do novo continente, a cidade guarda uma área colonial de ruas de pedras e edificações históricas que vale a pena ser visitada. Mas tem também ares modernos e agitada vida noturna, com restaurantes e bares que servem boa comida a preços justos. E o contato com a água azul-turquesa e a areia fina do Caribe está logo ali pertinho, a 30 quilômetros do Centro, em Boca Chica, praia protegida por uma barreira de corais. Mas é para o extremo leste da ilha, a 217 quilômetros da capital, que quase todo mundo quer ir.

Punta Cana é um cenário de praias magníficas, pontuadas por coqueiros agitados por fortes ventos e recifes de corais que deixam as águas calmas, perfeitas para explorar a vida marinha com snorkel. Resorts gigantescos – são mais de trinta na região – concentram, bares, restaurantes, cassinos e boates, sem contar que alguns têm esplêndidos campos de golfe, o esporte símbolo do país. Já na costa nordeste da República Dominicana, está a Península de Samaná e suas praias praticamente intocadas. O maior atrativo do lugar acontece entre dezembro e abril, com o show das baleias jubarte, que nadam do Atlântico Norte até ali para o nascimento de seus filhotes.

 

COMO CHEGAR

A GOL é a única companhia que tem voos diretos entre o Brasil e o Aeroporto Internacional de Las Américas, em Santo Domingo. Outras rotas comuns para chegar a destinos populares como Punta Cana (PUJ) e Península Samaná (Aeroporto de El Catey, AZS) são as que passam por Panamá (Copa Airlines), Bogotá (Avianca) e Estados Unidos (Tam, American Airlines e United).

COMO CIRCULAR

A ilha de Hispaniola é razoavelmente grande e as distâncias um tanto longos se preferir usar carro alugado ou ônibus. De Santo Domingo a Punta Cana são cerca de 3h30 de viagem, e de lá para Samaná são mais 5h30. Companhias ocomo Caribe Tours, Metro e Expreso Bávaro fazem esses trajetos com saídas regulares.

Voos domésticos também são bastantes convenientes, muitas vezes operando com charters, mas as saídas só são frequentes durante a alta temporada.

QUANDO IR

Agosto e setembro são os meses mais propensos aos furacões e quando boa parte dos resorts oferecem grandes descontos. Dezembro a fevereiro e as férias de verão dos Estados Unidos (julho e agosto) são a alta temporada, quando é mais difícil de fazer reservas e os preços estão mais altos.

A temporada de chuvas depende da região do país. No norte as precipitações são maiores no inverno (dezembro a fevereiro), enquanto que no sul o céu é mais nublado de maio a junho e de setembro a novembro.

O QUE FAZER

Em Santo Domingo, uma cidade cujo centro histórico é relacionado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, o turista encontrará muitas atrações relacionadas a cultura, arquitetura e história. Outro grande atrativo na República Dominicana é o mar. São cerca de 1500 km de praias, dezenas delas excelentes para a prática de esportes como kitesurfe e windsurfe. Além disso, pesca (no mar, destaque para as barracuras e peixes-espada; em terra, as trutas do Lago Hatillo) e mergulho (livre ou autônomo) também são bastante procurados. Será também junto ao oceano que o visitante terá à disposição ilhas paradisíacas como Cayo Levantado, Isla Saona e Isla Catalina, ótimas para um snorkel junto aos recifes de coral.

Para quem gosta de ação, não deixe de fazer programas bastante populars como o rafting e a canoagem no Rancho Baiguate (desde Santo Domingo), com corredeiras de alto nível no rio Yaque del Norte. Há também excursões de 4×4 desde Samaná, Bayahíbe e Punta Cana, observação de baleias-jubarte de janeiro a março e belas cachoeiras, como o Salto Jimenoa e o Salto El Limón (Samaná).

ONDE FICAR

Em Santo Domingo o visitante terá à disposição hotéis e pousadas de padrão internacional, incluindo estabelecimentos de várias bandeiras bem conhecidas. O ideal é ficar próximo ao Centro Histórico, para aproveitar bem os passeios. Já em Península Samaná e Punta Cana a escolha óbvia recai sobre resorts all-inclusive, que oferecem o pacote completo: hospedagem confortável, restaurantes variados, muitas opções de lazer, baladas noturnas, bares e até campos de golfe, tudo junto ao mar.

GASTRONOMIA

A cozinha dominicana é predominantemente criolla, uma encruzilhada de sabores e ingredientes vindos da África, Europa e dos habitantes nativos. O resultado é uma mesa muito semelhante aos demais países latino-americanos, principalmente aos da orla do Caribe. Ensopados como o mondongo e o sancocho, a arepa dominicana (um bolinho de farinha de milho) e o chicharón (frango frito) podem ser encontrados com bastante frequência nos restaurantes locais.

As comidas da República Dominicana são muito saborosas, variadas e, em alguns aspectos, se aproximam da culinária brasileira: o pescado com coco, por exemplo, é muito semelhante à moqueca baiana e capixaba, e o pastel en hoja se parece com a saborosa pamonha goiana, com a diferença de que o milho é substituído pela mandioca e enrolado em folha de bananeira. Aqui, também é comum encontrar os chicharrones de pollo e o pica-pollo, que são pedaços de frango frito. Até o moro, que é o casamento perfeito entre o arroz e o feijão em um estiloso mexido, nos lembra da comida de casa. Mas as semelhanças param por aqui.

Comidas da República Dominicana | Pastel de Hoja

O pastel de hoja que se parece com a nossa pamonha.

As peculiaridades da comida dominicana começam a ser percebidas nas ruas. Nas esquinas, você será convidado a experimentar o limonzilho, uma frutinha verde, pequena e que nasce em cachos. Sua casca forte abriga um caroço revestido por uma polpa amarelada de sabor cítrico capaz de viciar gradativamente. 

Mofongo | Um dos itens mais encontrados na mesa do dominicano é o plátano, que corresponde à nossa banana-da-terra, mas que, geralmente, é frita ainda verde. Amassada com alho, essa mistura dá origem ao mofongo, que é servido tradicionalmente com carne de porco. Essa saborosa iguaria pode ser comida no almoço, no jantar ou em uma refeição rápida.

Comidas da República Dominicana | Mofongo

O mofongo: banana-da-terra verde e frita servida com carne de porco e abacate.

Yaniqueque | Esse tipo de pão frito é encontrado facilmente nas barraquinhas de fritura que abundam nas praias de Boca Chica, Barahona e Guayacenes. Fresquinho e ainda quente, ele é uma saborosa opção para matar a fome no meio da tarde.

Comidas da República Dominicana | Frituras

As tradicionais barracas de frituras: cuidado com a higiene.

Habichuelas con Dulce |Ele nada mais é do que feijão doce. Do feijão vermelho é preparado um caldo grosso onde os grãos desaparecem e, então, se juntam o açúcar, algumas uvas passas e um pouco de canela. Depois de pronto, acrescentam-se pequenos biscoitos doces sobre o prato. Quente ou frio, ele é uma delícia e é muito consumido durante as festas de fim de ano.

Comidas da República Dominicana | Habichuela con Dulce

O feijão doce: estranho, mas saboroso.

Sanduíche do Barra Payan | Sentar-se nos bancos do balcão desse tradicional bar é uma autêntica experiência dominicana. Servindo o mesmo sanduíche há mais de 50 anos, desde a sua fundação o bar ocupa um humilde ponto na Rua 30 de Marzo, em Santo Domingo. A seleção de sucos de frutas tropicais é um atrativo à parte. Bom mesmo é o Payan Especial, um sanduíche de pão francês, com tomate, presunto, peito de frango e dois tipos de queijo. Parece simples, não é mesmo? Aguarde até você experimentar o sabor dessa iguaria local. O sanduíche custa DOP 130 e o suco DOP 40. O pagamento é feito exclusivamente em dinheiro.

Comidas da República Dominicana | Barra Payan

O tradicional Barra Payan, em Santo Domingo.

Comidas da República Dominicana | Barra Payan

O Payan Especial tradicionalmente servido no balcão do bar.

Dulces | O tradicional dulce de leche, aqui, ganha várias versões: recheado de laranja, frutas secas, goiabada e tantas outras opções eles são um verdadeiro convite à gula. Na Casa del Dulce, na Zona Colonial, você vai encontrar todo e qualquer tipo de doce local. Além disso, a sessão de bebidas também é muito variada e os preços são justos.

Comidas da República Dominicana | Casa del Dulce

Na Casa del Dulce você encontra de tudo.

 

 

COMPRAS

Santo Domingo é o principal destino de compras do pais, onde há boa oferta de vestuário, chapéus, joias e artesanato típico. Lá você encontrará alguns shopping centers e mercados de rua, assim como há algumas opções em destinos mais afastados. Rum e charutos são artigos bastante apreciados.

 

Principais Pontos Turísticos

1. Santo Domingo

Como se locomover na República Dominicana

Para conhecer tudo que há de lindo na República Dominicana, é preciso alugar um carro e preparar-se para muitas horas de estrada, pois o país é grande (são 48 mil km² e 1,5 mil km de costa paradisíaca).

Outra opção é conhecer apenas uma região. É possível passar quinze dias bem movimentados ficando apenas em uma das opções: a leste está Punta Cana e arredores (o desafio vai ser sair dos resorts all-inclusive de frente para o mar).

Ao sul, Bayahibe com suas praias, ilhas e cachoeiras; a nordeste, a rica Península de Samaná; a norte está Cabarete com seus excelentes ventos para surfe, wind e kite; e há ainda o selvagem sudoeste, com as Dunas de Baní, a praia de Barahona e a estonteante e deserta Bahía de las Águilas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte:http://viagemeturismo.abril.com.br/materias/19-lugares-incriveis-para-visitar-na-republica-dominicana/ http://viagemeturismo.abril.com.br/paises/republica-dominicana/  http://www.penaestrada.blog.br/zona-colonial-de-santo-domingo/

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s